Paecilomyces lilacinus e sua utilização

Os nematoides na cultura do milho
abril 16, 2020

Texto escrito por: Weder Silva.

Os nematoides constituem um fator limitante da produtividade agrícola de diversas culturas, como soja, milho, café, algodão, entre outras. Esses microrganismos agem promovendo danos radiculares, que diminuem a absorção de águas e nutrientes, e além disso, esses danos servem de porta de entrada para vários patógenos, favorecendo a ocorrência de doenças radiculares.  Uma das alternativas para o controle dessa de nematoides de uma forma sustentável é através do controle biológico, pois o controle químico promove um maior impacto ambiental, e além disso, possui baixa eficiência e alto custo.

O controle biológico apresenta uma série de vantagens, pois é mais barato, de fácil aplicação, não contamina, não deixa resíduos e nem desequilibra o meio ambiente. No controle biológico são diversos os inimigos naturais capazes de controlar nematoides, porém os fungos se destacam.

Paecilomyces lilacinus é um fungo saprófito que pode ser encontrado naturalmente em diversos tipos de solo. Esse microrganismo possui uma capacidade de crescer e se adaptar a uma ampla faixa de pH de solo e é bastante competitivo em campo. Caracteriza-se por afetar diretamente a capacidade reprodutiva dos nematoides, seja parasitando os ovos, onde ele penetra e destrói o embrião, ou atacando as fêmeas sedentárias, que são colonizadas e mortas, e ainda pode infectar nematoides nas fases móveis (J2). Por isso tem se mostrado muito eficiente na supressão de nematoides.

Assim, pode-se afirmar que o controle biológico, com a utilização do fungo Paecilomyces lilacinus, possui inúmeras vantagens em relação ao controle químico, dentre as quais se destacam: não causam danos ao meio ambiente; não deixa resíduos nos produtos colhidos; não causa desequilíbrio na microbiota do solo; não favorece o surgimento de formas resistentes de nematoides; reduz nematoides no solo; é de fácil aplicação.

Desta forma, o controle biológico de nematoides visa reduzir sua intensidade, proporcionando assim, aumentos da produtividade agrícola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *